Como recorrer contra o INSS

Pediu a aposentadoria no INSS; aguardou infindáveis meses para ter uma resposta; e, quando ela veio, ela foi negada por “falta de tempo de contribuição”? Agora, você tem 30 dias para recorrer contra o INSS e não sebe o que escrever no recurso?

QUANDO É O CASO DE RECORRER CONTRA O INSS?

Pediu a aposentadoria no INSS; aguardou infindáveis meses para ter uma resposta; e, quando ela veio, ela foi negada por “falta de tempo de contribuição”? Agora, você tem 30 dias para recorrer contra o INSS e não sebe o que escrever no recurso?

Ao longo desse artigo, vamos explicar como você irá conseguir entregar um recurso com chances de reverter a decisão do INSS.

E também vamos oferecer um modelo para você baixar e poder apresentar seu recurso.

COMO FUNCIONA O PEDIDO DE APOSENTADORIA?

O Instituto Nacional do Seguro Social – INSS, é o órgão federal responsável pela análise dos pedidos de aposentadoria.

Toda vez que uma pessoa pede uma aposentadoria para o INSS, esse pedido é autuado, ou seja, ele vira um processo administrativo, onde consta o pedido, feito pelo segurado, os documentos apresentados, carteira de trabalho, documentos pessoais etc.; e os documentos que indicam a análise e as decisões do INSS.

Quando uma pessoa pede uma aposentadoria, o INSS faz uma análise específica, que só é feita neste momento. A análise de um pedido de aposentadoria só é feita quando formulado o pedido de aposentadoria.

Ou seja, se a pessoa faz uma simulação no INSS, para saber o tempo que tem, antes de fazer o pedido de aposentadoria oficial, essa análise de simulação não é a mesma feita no processo administrativo. Não deveria ser assim, mas é.

Então, não raras as vezes o segurado simula o tempo de contribuição no MEU INSS ou em uma Agência do INSS, com um servidor, vê que está tudo certo para se aposentar, faz o pedido e, quando chega a resposta, o INSS nega.

Diante dessa situação, é o caso de recorrer contra o INSS.

APOSENTADORIA NEGADA. O QUE FAZER AGORA?

A primeira opção é recorrer administrativamente, no próprio INSS. Neste caso, uma Junta de Recursos vai fazer uma reanálise do pedido de aposentadoria. Ou seja, a Junta, em uma reunião para julgamento, vai analisar se a decisão do INSS foi correta mesmo, ou se deve ser alterada.

O recurso contra o INSS consiste em “colocar no papel”, de forma escrita, as suas razões, os seus motivos do porquê a sua aposentadoria deve ser concedida. Deverá expor, de forma clara, objetiva e fundamentada, o motivo pelo qual deseja que a a decisão seja modificada.

Ao invés do indeferimento, o segurado pede a reforma para que seja deferido, isto é, para receber o benefício.

AS OPÇÕES

Para recorrer contra o INSS, o segurado terá duas opções:

1) Ligar para o 135 (portal telefônico do INSS) e agendar uma data para efetuar o protocolo do recurso e documentos; ou

2) Efetuar o protocolo diretamente pelo portal MEU INSS, do recurso e dos documentos.

Na primeira opção, o segurado, na data agendada, deve levar o recurso escrito, documentos pessoais de identificação e outros documentos que entende serem pertinentes para o recurso. Esses documentos variam de caso a caso. Tudo depende do motivo pelo qual o INSS negou a aposentadoria.

Já pela segunda opção, o protocolo é feito diretamente pelo site meu.inss.gov.br.
Após cadastrar sua senha, o segurado terá acesso ao seu perfil do MEU INSS. Lá, na lista de opções, do lado esquerdo, clique na opção “agendamentos/requerimentos”.

Após aberta a página, clique no canto inferior direito, onde consta “NOVO REQUERIMENTO”. No campo “pesquisa“, escreva “recurso”. Aparecem mais de uma opção. Se o indeferimento for de um pedido de aposentadoria, que não seja “aposentadoria por invalidez”, clique na opção em que consta somente “recurso”.

Depois, você terá a opção de atualizar seus dados. Atualize-os! Isso é importante. Feito isso, clique em “avançar”. Depois, em “avançar” de novo. Preencha todos os dados e anexe os documentos necessários, conforme informamos acima.

O MAIS IMPORTANTE

O mais importante fica no campo “5”. É imprescindível identificar o número do benefício que foi negado. Essa informação é possível de obtida pela carta de indeferimento (imagem abaixo) do pedido de aposentadoria. Insira o número lá, para que o INSS possa identificar o pedido que está sendo recorrido.

Carta de indeferimento

Agora é aguardar. O INSS leva de 06 meses a 01 ano para julgar os pedidos. Pode levar mais ou menos tempo que isso. Varia bastante de acordo com o momento. Atualmente, está demorando mais. Isso, porque os pedidos de aposentadoria estão mais recorrentes, em razão da Reforma da Previdência, a Emenda Constitucional n.º 103/2019, que entrou em vigor em 13/11/2019.

O QUE ESCREVER NO RECURSO ADMINISTRATIVO?

Para facilitar a sua vida, preparamos um modelo de recurso para apresentar ao INSS.

Baixe o modelo de recurso administrativo para sua aposentadoria pelo inss.

Para saber exatamente o que escrever no recurso, isso varia de caso a caso. O cenário é específico, é individual. O motivo para o INSS ter negado o pedido varia muito e isso não fica claro na carta que você recebe em casa.

Portanto, é necessário fazer um “planejamento previdenciário”, que consiste na apuração da apuração de tempo de contribuição, feita pelo INSS no processo do pedido de aposentadoria. Com esse mapeamento, é possível identificar exatamente qual foi o motivo do indeferimento e colocar isso no recurso, aumento as chances de se reverter a negativa.

SE VOCÊ SE INTERESSOU SOBRE O PLANEJAMENTO PREVIDENCIÁRIO, CLIQUE AQUI PARA MAIS INFORMAÇÕES. PODEMOS APRESENTAR UMA ANÁLISE PARA QUE VOCÊ POSSA ESCREVER O RECURSO.

A AÇÃO JUDICIAL

O que explicamos até aqui é o recurso administrativo. Além dessa opção, o segurado poderá buscar um advogado para ingressar com uma AÇÃO JUDICIAL, que é outra coisa. É uma outra opção, além do recurso administrativo.

A ação judicial pode ser protocolada ao mesmo tempo em que o recurso administrativo. Neste caso, o segurado terá duas possibilidades de reverter a negativa do INSS: 01 pelo recurso administrativo; e 02 com a ação judicial.

A ação é algo bem mais complexo, de modo que não vamos entrar em detalhes aqui, até porque o segurado precisa, necessariamente, de um advogado para isso. A grande diferença é que a ação judicial, na maioria dos casos, tem mais chance de dar certo do que o recurso administrativo.

O PLANEJAMENTO PREVIDENCIÁRIO

Lembra do planejamento previdenciário, que falamos ali em cima? Ele é extremamente necessário, também, para entrar com a ação judicial. É com ele que se consegue saber exatamente qual foi o motivo de o INSS ter negado o pedido de aposentadoria e qual a tese a ser apresentada para o juiz.

A análise previdenciária é bastante objetiva. Ou se tem o tempo de contribuição ou não se tem. Para saber se o INSS acertou na contagem ou não e qual o motivo do seu recurso ou ação judicial, deve-se fazer uma simulação, e essa simulação nos chamamos de PLANEJAMENTO PREVIDENCIÁRIO.

Autor: Pedro Nicolazzi, OAB/SC 38.817.
Advogado especialista em direito previdenciário

4 comentários em “Como recorrer contra o INSS”

  1. hello there and thank you for your info – I’ve certainly picked up anything new from right
    here. I did however expertise several technical points using this site, as I experienced to reload the website many times previous to I could get it to load
    correctly. I had been wondering if your web host is OK?
    Not that I am complaining, but sluggish loading
    instances times will often affect your placement in google and could damage your quality score if ads and marketing with
    Adwords. Well I am adding this RSS to my e-mail
    and could look out for a lot more of your respective interesting content.

    Make sure you update this again soon. asmr 0mniartist

  2. Hi there would you mind letting me know which webhost you’re working with?
    I’ve loaded your blog in 3 different web browsers and I must
    say this blog loads a lot quicker then most.

    Can you recommend a good internet hosting provider at a honest price?
    Thank you, I appreciate it! 0mniartist asmr

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *